EXCLUSIVO: Mitologia da Estônia inspira novo vídeo de Kerli

O vídeo faz parte de seu terceiro álbum, mas o primeiro sem a produção de sua ex-gravadora. O primeiro trabalho de Kerli como artista independente coincide com uma importante decisão: voltar para seu lugar de origem. Tivemos uma conversa com Kerli e ela nos disse um pouco sobre sua nova música e seu novo estilo de vida.









Eu vi que ano passado você voltou ao seu país. O que motivou essa decisão?



Eu sai de casa com 16 anos, e estive cuidando de mim mesma pelo mundo todo, vivendo em Estocolmo, Londres, Nova York e Los Angeles. Sou grata pelas experiências que ganhei, mas alguns anos atrás eu comecei a sentir uma grande necessidade de me conectar com as minhas raízes e experimentar um estilo de vida muito mais simples do que a vida corrida na cidade pode oferecer. Eu estava exausta da maneira como estava vivendo – trabalhando 15 horas por dia, cercada de pessoas que priorizavam o dinheiro e o sucesso ao invés da felicidade. Senti que estava me perdendo e sabia que o único jeito de mudar isso era fazendo algo drástico. Então eu basicamente fechei aquela porta – desisti de trabalhar com a minha ex-equipe e gravadora, devolvi meu apartamento em Hollywood Hills e viajei até a Estônia com duas malas. Uma delas com toda minha música, e a outra com algumas peças de roupa.



Na Estônia, achei um chalé no meio da floresta e morei lá por 9 meses para fazer arte e ter um estilo de vida simples. Eu não tinha água encanada, mal tinha eletricidade e nada para me distrair da voz do meu coração. Foi muito difícil tomar essa decisão durante minha existência, mas acabou sendo a coisa mais gentil que eu já fiz para o meu espírito.




Como essa mudança afetou a sua música?



Isso mudou tudo na minha música. E não só porque os sons são diferentes e mais orgânicos, mas para perceber o que a música significa para mim. Música para mim é uma das coisas mais bonitas do mundo e sou muito grata que eu posso viver na floresta e me inspirar com as plantas, animais e o deserto. A Estônia é um lugar muito mágico, é cheio de espírito e poder. Eu espero que as pessoas possam sentir tudo isso na minha música.




Foi mais fácil focar no seu trabalho quando você voltou à Estônia?



Sim, muito mais fácil. Eu não tive nada para me distrair além das minhas limitações. As vezes o mundo pode ser tão barulhento que você não consegue distinguir seus pensamentos dos outros.








Qual é a maior diferença entre o cenário pop da Estônia do resto do mundo?


Eu realmente não sei, porque não estou tentando fazer o que o cenário pop faz. Mas nós temos artistas incríveis na Estônia. E não só na música, mas também na moda e no design. Todos os personagens que eu criei para o novo vídeo estão usando roupas feitas por fashionistas estonianos. Eu me sinto muito abençoada com tantas pessoas talentosas unidas para esse projeto.



O que inspirou seu novo álbum?


A natureza. Minhas raízes. E basicamente muitos pensamentos profundos sobre o que é ser uma pessoa. Eu estou muito orgulhosa desse álbum e mal posso esperar para compartilhá-lo com o mundo.




Seus vídeos sempre mostram elementos místicos. Por que você continua seguindo esse estilo?
Fica perto do meu coração – a magia. Eu sinto que humanos são seres mágicos e as vezes nós esquecemos disso porque nós estamos muito ocupados com a vida mundana. Sempre estou trabalhando com o que não é visto, com o inconsciente, o inexplicável.



Qual foi sua inspiração para o novo vídeo “Feral Hearts”?


A natureza e a mitologia da Estônia. A história do vídeo é sobre uma garota, que entra em uma floresta para perseguir essa visão dela – um animal branco. No seu caminho ela é seduzida e fica distraída com todos aqueles personagens, que possuem mensagens para ela. Mas no final ela alcança sua visão, que é cercada por espelhos – representando todas as respostas que estavam olhando para si mesma. Esse vídeo é cheio de símbolos – na verdade, eu estudei muito para realizar todos os detalhes presentes no vídeo.
E meio que conta a minha própria jornada – ir até o desconhecido para perseguir minha visão.









Nós podemos esperar uma visita sua no Brasil?


Sim. Eu estou muito animada para voltar ao Brasil. Acho que a Estônia e o Brasil possuem esse amor pelas florestas. Além de ver minhas maravilhosas “moon children”, eu realmente quero passar algum tempo na Amazônia e me conectar com os espíritos de lá. Eu amo a magia brasileira.




Nós vamos ver mais novidades do seu trabalho em 2016?


Sim! Muita música e muitos vídeos vão sair este ano. Eu já estou trabalhando no meu próximo vídeo, é tudo muito animador!