Princesa Moana abre espaço para debate sobre representatividade na mídia

23 junho 2016
No dia 12 de Junho foi liberado o trailer de “Moana: Um Mar de Aventuras”, a nova princesa da Disney, que deve estrear em Janeiro de 2017 nos cinemas do Brasil. Uma das coisas que mais chama a atenção no trailer é a aparência de Moana, afinal, onde está a pele clara, cabelo liso, rosto afinado e delicado que há tanto tempo se vê nas princesas da Disney?



O enredo do filme se passa na Polinésia. Essa é a primeira vez que a Disney explora a ilha, e também será a primeira vez que veremos uma princesa com rosto oval, cabelos longos, soltos e cacheados nas telonas, e isso é muito maravilhoso! Com poucos minutos de publicação, rolaram muitos comentários em nossa página de pessoas se identificando com ela ou marcando pessoas que sejam parecidas com ela. Você consegue perceber a importância disso?



Você nunca parou para pensar onde estão as princesas negras? Indígenas? Orientais? Temos uma Mulan para representar as orientais, uma Pocahontas para representar as indígenas e muitos anos depois, uma Tiana para representar as negras. Isso não pode estar certo, tanto que Mc Soffia, rapper de 12 anos, escreveu uma música chamada “Minha Rapunzel de Dread”, que fala sobre uma princesa africana de dreads “porque nos contos de fadas não têm princesas assim. Eu falo que ela é diferente, mas que ela é empoderada, que não precisa de um príncipe pra se salvar”, contou em entrevista para a MTV.



Para quem acha que isso é besteira, é porque nunca precisou se preocupar com isso. É porque nunca tentou clarear a pele negra para que ela embranqueça e se encaixei nos padrões.

Stephanie Ribeiro, arquiteta e ativista de 22 anos, contou um pouco de sua vivência para exemplificar o que estou querendo dizer:

“Enquanto negra, fui ensinada a ser forte desde criança para aguentar o racismo e depois entendi que também o machismo. Nunca tive comportamento frágil, as negras não são representadas assim, até mesmo a Tiana, a primeira princesa negra da Disney, não foi representada assim, ela era aguerrida e independente. Na infância eu também entendi que meu cabelo era errado, por isso colocava a toalha na cabeça e fingia que ele era longo e balançava, fiz meu primeiro relaxamento quando era muito nova. Para mim, minha cor era feia, então passava horas me esfregando para ver se clareava”.



Ter uma personagem que se pareça com você na grande mídia significa representatividade. Não só Hollywood, como também a mídia nacional, enfatiza os padrões de beleza europeus e inclui mulheres negras em poucos papéis. “As mulheres negras sempre aparecem como empregadas domésticas, ou como mulheres espalhafatosas, funcionárias de baixa hierarquia, cuidadoras. Nunca como mulheres de respeito, altas executivas, ou ocupando posições de prestígio”, conta Zaíra Pires, jornalista e produtora cultural de 29 anos.

Fala sobre isso não é somente coisa de adulto. A jornalista Karoline Gomes, de 23 anos, explica: “É na infância que aprendemos a forma caráter, julgamentos e até gostos, embora estes possam mudar sempre. Isso é importante socialmente para que se aprenda a reconhecer e respeitar diferentes corpos, cores e traços, mas para as mulheres negras e fora do padrão estético, significa saber que se pode ser e fazer muito mais do que lhes é dito. É também aprender a se amar sem depender da aprovação dos outros e sem precisar mudar esteticamente”.

Para quem continua achando que isso é assunto de adulto, e que crianças não precisam se preocupar com racismo e representatividade, fizemos diversas buscas no Google relacionadas às crianças, que deixam evidente o padrão europeu instaurado em nossa sociedade desde a infância.












Com isso, podemos perceber que a pessoa branca é vista como normal e aceita na sociedade. “Socialmente foi construído um ideal de beleza que é o do branco. Então nessa ideia da superioridade da branquitude, ser branco é o ideal, então as crianças em geral deveriam ter e querer ser como a boneca branca. A criança bonita, alegre e saudável é sempre representada como a branca. E a princesa perfeita é a branca com cabelo liso e comportamento frágil”, explica Stephanie Ribeiro.

A representatividade está sendo discutida cada vez mais em pauta pública, mas ainda falta muito para que todas as pessoas se identifiquem com personagens, para conseguir fugir de estereótipos, para que não só negros de pele mais clara, magros e cabelo cacheado consigam espaço de voz.

“Demorou mais de 20 anos para que eu pudesse ver uma personagem que de fato parecesse comigo no cinema, que foi a Tip de ‘Cada Um na Sua Casa’. A representatividade tem aumentado. A nova princesa Moana é um exemplo de como Hollywood tem atendido às cobranças, porém é preciso pensar ainda que normalmente as minorias não têm tanto acesso a este tipo de entretenimento e acabam consumindo propagandas e novelas do horário nobre da TV aberta, por exemplo, que ainda não aposta em diversidade e não fala abertamente de questões sociais”, opina Karoline Gomes.



Vale lembrar que, apesar de não ser branca, Moana tem muitos traços indígenas, que também é outro povo pouco representado na mídia em geral.

O objetivo desse texto é, além de mostrar a importância da representatividade e de dar espaço de voz para que mulheres negras consigam expor uma realidade que a maioria branca não precisou enfrentar, também é discutir o racismo e o que fazer para que isso tenha um fim.

Zaíra Pires conclui o pensamento: “Precisamos entender que o racismo é prejudicial a todas as pessoas, não só às negras. Não se evolui como nação enquanto negamos direitos básicos a mais da metade dos cidadãos. Uma sociedade não amadurece se não caminhamos todos juntos. Será que alcançamos nossos objetivos se apenas uma parte de nós atravessou a linha de chegada?”.

últimas notícias

6 celebridades que tiveram que fazer apresentações constrangedoras em frente aos seus ex-mozões

news

Bella Hadid mostrou que não tem nada contra Selena Gomez

news

Chrissy Teigen e John Legend estão esperando o segundo bebê

news

Saiba detalhes do romance de Taylor Swift e Joe Alwyn

news

Reataram ou não? Alguns fãs de Jelena estão com dúvidas quanto à volta de Justin Bieber e Selena Gomez

news

Stephen Bear & Charlotte Crosby compartilharam posts um sobre o outro nas redes sociais

news

Exclusivo! David Guetta fala sobre seu novo álbum e parceria com Adele e Shawn Mendes

news

Tudo o que queremos neste Natal é que essas celebridades fiquem juntas

news